Vente de Garage

 

Há algum tempo que ando para escrever sobre este assunto pois é algo característicos no Canadá e portanto também aqui do Quebec. No entanto nunca tinha acontecido, mas hoje no passeio até ao Chemin Borde-du-Lac (nome pouco rigoroso pois o chemin não é à beira de nenhum lago, mas sim do rio St Laurent) deparei-me com o anuncio e desde logo ficou decidido o assunto do post de hoje.

 A venda já tinha sido ontem, porém como já tenho fotografias de outras vou escrever sobre elas, as vente de garage e usar as do meu arquivo.

 

As vendas de garagem são anunciadas nos postes de iluminação, nos semáfore ou nas árvores que bordejam as ruas. No anúncio consta a rua e o nº onde vão ter lugar. E que se vende nelas? Tudo o que se acumulou na garagem durante o ano anterior, a saber: uma lata de tinta a meio, o urso de peluche a quem já ninguém liga, uma cadeira de baloiço já desengonçada, uma moldura velha, livros que já não se lêem, uma almofada já roçadada, um martelo enferrujado… e não acabaria mais se quisesse enumerar tudo o que lá tenho visto! Tudo isto é exposto no jardim em frente à vivenda que a patrocina.

 

É curioso como esta ideia de vender, a quem passa, o que já não nos serve  está tão enraizada nos hábitos desta gente. É de tal maneira uma tradição que até os jornais trazem referências a elas. Num dia destes The Globe and Mail trazia um artigo sobre estas "vendas de garagem" e nele dava conselhos de como comprar melhor. Por exemplo, sugeria que nunca se comprasse à peça mas que se fizesse sempre um lote das coisas de que gostavamos e posteriormente as negociassemos com quem vende!

Já viram que prática e lucrativa ideia de nos desfazermos do que já não precisamos?!

 

Não vejo esta ideia a “pegar” em Portugal mas que a minha mãe que tem um sótão onde, ao longo de meio século, tem acumulado coisas isso é verdade, e que daria uma excelente Vente de Garage  na 5 de Outubro também!

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 23:20 | link do post | comentar | ver comentários (14)