A D. Cecília

 

 

 

 

Hoje estava a precisar de “ petits pains” (acho que já disse que são os nossos papos-secos) e como tal decidi-me a percorrer os aproximados 2 km que separam o 400 da Sherbrooke Street da PADARIA PORTUGUESA. Eram umas 10horas da manhã e quando cheguei as três mesinhas de que dispõe estavam todas livres. Depois de pedir oito “petits pains" e tirar da prateleira frigorífica uma morcela açoreana pedi um café expresso. Sentei-me e já a bica estava tomada quando apareceu a D. Cecília. Esperei um pouco para ver no que dava…a certa altura a conversa iniciou-se nem sei bem como, acho que ela comentou que todas os dias comia ali uma sopinha e uns filetes ou empadas conforme lhe apetecia. Para ela sozinha não valia a pena cozinhar! Então atrevi-me a perguntar se já estava há muito tempo no Canadá. Pergunta tonta pois uma cara já enrugada não era com certeza uma imigrante de há poucos anos. Que sim, que já cá estava há 25 anos e que tinha vindo directamente da Bélgica onde tinha estado um ror de anos, mas o marido tinha morrido de repente e o filho (único) aqui  imigrado a tinha convencido a vir. Mas sabe, diz, ela há dezasseis anos que não falo com ele por vias da minha nora que é uma ruindade e que nem deixou a minha neta dar-se comigo. Mas sabe a senhora, continua ela, primeiro custou-me mas agora já não sinto nada, sou absolutamente feliz porque não dependo de ninguém financeiramente, tenho muitas amigas e cuido de mim sem qualquer problema! Tudo isto de uma forma desempoeirada, a meu ver compatível aí com uns setenta e poucos anos. Mas adivinhem quantos anos faz a D. Cecília no próximo 2 de Novembro? Precisamente 91!

Contou-me muitas mais coisas mas fica para amanhã.

 

publicado por naterradosplatanos às 00:05 | link do post | comentar | ver comentários (6)