Domingo, 18.04.10

Le printemps n'arrivais pas encore ici!

 

 

Le  Printemps  n’ arrivais pas encore ici!

 

(se o meu francês não estiver correcto, alguém que corrija!)

 

Apesar do Equinócio já ter sido há muito e a Primavera (astronómica) ter já quase um mês, a verdadeira Primavera aquela a que associamos a árvores floridas ou cobertas de folhas tenras, ainda não chegou aqui!

Montreal continua triste com a chuva a cair. Os prédios cinzentos, quer sejam as casa de traça vitoriana ou grandes arranha-céus não ajudam… e para quem vem de um país mediterrâneo e de uma cidade de casas brancas, acreditem que não é fácil quando, pela manhã, se olha pela janela do 20º andar! Mas como poderiam eles pintar de branco uma cidade de invernos tão rigorosos? Na primavera não haveria “cal” que apagasse os vestígios de tal rigor, preocupações com os buracos da ruas (potholes) já eles têm em demasia.

Assim, “pintada” de cinzento ninguém dá conta… 4*

publicado por naterradosplatanos às 19:14 | link do post | comentar | ver comentários (9)
Sábado, 17.04.10

Depanneur

Porque hoje é sábado… apenas fica aqui esta simples pergunta: sabem o que é um DEPANNEUR?  Vá lá, nada de correr para o dicionário!

 

 A resposta virá apenas se alguém responder. 6*

tags:
publicado por naterradosplatanos às 17:55 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Sexta-feira, 16.04.10

galos de Barcelos

 

 

 

 

 

 

 

Galos de Barcelos

 

 

St Laurent Boulevard, 3 horas da tarde.

 Este boulevard divide Montreal em duas partes, a West e a East e estes dois pontos cardeais constarão sempre em todas as moradas conforme os casos.

 É nesta mesma rua e nas adjacentes que nós podemos encontrar os portugueses que imigraram há muito, pois como disse no post anterior não é fácil, actualmente, ter autorização para permanecer nestas terras.

 Percorrer esta rua é interessantíssimo pois os nomes e as imagens documentam bem o que acabo de dizer : Café Central, (lá dentro três jogavam às cartas, outros tantos cá fora discutiam acaloradamente…) mais à frente Casa Minhota (com a montra cheia de galos de Barcelos), Routisserie Portuguaise ( em francês como convém nestas terras do Quebec), Livraria e Discoteca Portuguesa (CD e DVD dos nossos mais conhecidos além fronteiras sejam eles cantores populares ou ranchos folclóricos) , Co-Co Rico Restaurante ( lá dentro frangos assados e … pasteis de nata bem tostadinhos!), Tapas Bar Restaurant Potuguaise e muitos muitos mais boulevard acima.

 

Como precisávamos de adquirir um foco que realmente dessa luz, (normalmente os que convém à decoração não servem para iluminar como precisamos ) resolvemos então paulatinamente subir a St Laurent na expectativa de encontrarmos uma loja onde pudéssemos resolver o problema, e assim foi. Estávamos nós à roda dos ditos focos e eis que logo ali ao lado uma portuguesa bem parecida procurava, desta feita sim, não um simples foco como nós mas um “candelabro”.

 É caso para dizer: eles (nós) estão (estamos) por todo o lado! 8*

 

*um dia destes explico o que significam estes nº que vão aparecendo.

              

 
publicado por naterradosplatanos às 14:10 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Quinta-feira, 15.04.10

Is you the wife?

 

Actualmente as leis de imigração no Canadá são muito apertadas, nós próprios tivemos essa experiência. Mesmo depois de uma série de documentos que nos foram exigidos antes de voarmos para cá, à chegada ao Aeroporto (de seu nome Pierre Trudeau) fomos ainda sujeitos a um interrogatório por parte de um corpulento funcionário sentado a trás do IMMIGRATION OFFICE.

 A avaliar pelo que nos foi previamente dito ainda em Portugal, as nossas respostas e imaginem, até o nosso aspecto (nada de t-shits e sapatos de ténis!) iriam tornar-se fulcrais na decisão do tempo que poderíamos permanecer por cá. Aqui vai um resumo do que nos foi perguntado e permanentemente conferido com o que vinha nos documentos que trazíamos connosco:  “ o que veem fazer, se requereu admissão para trabalhar temporariamente no Canadá, por quanto tempo, qual a sua função na empresa, o que produz a fábrica que vai dirigir, onde se situa, onde vai morar etc. etc. etc. Depois, dirigindo-se a mim perguntou ainda se eu era a wife”.

Passados neste este exame convidaram-nos  a pagar $150 canadianos para depois nos agrafarem no passaporte uma folha,  com ar de documento Real, conferindo-nos licença para permanecermos 18 meses na terra dos plátanos (mais correctamente dos acers)!

 

 A dita folha tem bem explicito -  MUST LEAVE CANADA BY 07 OCT 2011.

 

publicado por naterradosplatanos às 14:34 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Quarta-feira, 14.04.10

varinha mágica

 

Como alguns já sabem moramos no 20º andar do 400 da Sherbrooke Street West, um “open space” muito agradável virado a Sudeste. Lá ao longe o rio St Laurent e um pouco mais à  esquerda a enorme “bola” da Biosfera.

O apartamento está equipado com tudo, ou quase tudo, isto é, falta-lhe uma varinha mágica e uma panela de pressão!!  Duas coisas que dificilmente dispenso! Segundo a minha sobrinha Susana também emigrada, na altura em Oxford, lhe sentiu a falta daí eu me sentir mais à vontade para o confessar.

 

Quem me lembra aquele poema do António Gedeão que terminava assim : …e tinha tudo mas não tinha um fecho eclair ?

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 20:55 | link do post | comentar | ver comentários (9)
Terça-feira, 13.04.10

Porquê este título?

 

 

 Este é o primeiro post e por isso acho que devo explicar aqueles  (s) que vêm no título.

Quem me ler em Portalegre e conhecer a bandeira do Canadá já terá compreendido a razão.

Para os que eventualmente me leiam noutros lugares eu explico : poucas pessoas que sejam atentas deixarão, caso passem no Rossio (de Portalegre) de admirar o enorme plátano que ali cresce penso eu que há mais de 100 anos! Daí fazer sentido “na terra do plátano” onde eu tenho vivido nos últimos 36 anos ( tirando aquele em que estive emigrada na Itália). Ora como agora voltei de novo a emigrar e desta vez para o Canadá, volta a fazer sentido “na terra dos plátanos” e dessa fusão deu “ Na terra do(s) plátano(s)”

Porém para sermos exactos a folha que está na Bandeira do Canadá não pertence exactamente ao género platanus mas ao género acer,  porém o comum do cidadão e até há bem pouco eu, sempre a tomei como a de um verdadeiro Platano! Elas são tão parecidas que daí não vem mal ao mundo se as confundirmos…

 

tags: ,
publicado por naterradosplatanos às 19:32 | link do post | comentar | ver comentários (10)

mais sobre mim

Abril 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
26
27
28
30

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO