Post para a minha mãe

 

 

Se não fosse o comentário dela ao meu post provavelmente não me lembraria de escrever este.

 

A minha mãe tem 89 anos, no Cartão do Cidadão mas na realidade a idade cronológica dela não tem nada a ver com a sua idade “real” quero eu, com isto dizer que os seus 89 parece não se coadunarem bem com a sua agilidade, a sua determinação, o seu querer, a sua resistência e muito menos com o uso destas tecnologias!

 Quem é que na sua idade se levanta, vai ligar o computador para ir ao blog da sua filha e cheia de curiosidade saber o que ela do outro lado do Atlântico escreveu? Para não falar nos mails que manda, nos anexos que abre, no reencaminhamento dos mesmos e ainda de me chamar pelo Skype!

 

Bom no post de hoje “ Alvíssaras capitão, meu capitão general” foi ela a primeira a comentar e como nele, eu me queixasse de não conseguir versejar eis que logo em resposta vem exactamente os versos que eu gostaria de ter feito para dar sequência à Nau Catrineta!

 

Quem primeiro leu este post não deixe de ler o anterior e então perceberá o motivo deste.

Obrigada mamã pela surpresa que me fez e com certeza a todos os que lerem estes meus dois posts

 

 
Aqui está o verso da minha mãe e que tão bem substituiria o meu!
 
Alvíssaras, senhor alvissaras,
meu capitão general!
Que eu já vejo tuas terras,
e reinos de Portugal.
Também vejo os meus netinhos,
debaixo de um laranjal.
Uma sentada a escrever,
e outra na roca a fiar,
e os outros muito contentes
estão na terra a me esperar!
publicado por naterradosplatanos às 17:26 | link do post | comentar