Esquilos e Borboletas ou vice versa.

 

 

 

Hoje não era dia de post mas pensando que o de ontem foi feio e hoje vi coisas bonitas resolvi escrever…

Esta manhã saí cedo, ou seja às 9.30 estava a caminho do Jardim Botânico onde está uma exposição de borboletas em liberdade e que, embora já tivesse visto o ano passado logo que cheguei, resolvi voltar a ver.

 

É sempre interessante vê-las voar por cima de nós, rasparem-nos na cara , nos ombros e até, como hoje me aconteceu, pousar-me uma  em cima da cabeça… certamente que não confundiram o meu cabelo branco com uma flor mas foi apenas mais um lugar onde pousar… A estufa estava cheia de crianças de um jardim infantil, todas muito bem comportadas   desfilando umas a trás das outras mas dificilmente resistindo a tentarem agarrar alguma.

 As mais bonitas são as azuis quando em voo pois logo que pousam e fecham as asas praticamente se tornam invisíveis uma vez que exteriormente são todas castanhas e sem graça. Também as havia brancas, negras, pretas, raiadas de amarelo ou vermelho, outras com ar de zebras porque riscadas… Como imaginam são difíceis de fotografar quando em voo!

 

Bem, mas o melhor do dia não foram as borboletas mas sim os esquilos que encontrei no Jardim já de saída.

 Como pensava ficar por lá toda a manhã e ir directamente para a aula de conversação levei lanche, uma sandwich, uma banana e um termos com café. Assim depois de sair das borboletas caminhei ao longo do Jardim que devido aos estragos do inverno está num estado miserável! Quando encontrei um banco ao sol sentei-me para almoçar… eis senão quando me vejo rodeada por meia dúzia de esquilos que olhavam atentamente a minha sandwich!

 

Os serviços do jardim pedem para não os alimentar, mas francamente eu não resisti vê-los ali especados como que de mãos postas a olhar para mim…assim, e aos bocadinhos lá partilhei o meu pão e queijo com eles. Porém brevemente este se acabou e portanto só restava a banana … experimentaram mas não gostaram!  O engraçado é que os bocadinhos de banana que pus no banco não os interessaram e continuaram a tentar lamber os sítios onde estava a gordura do queijo… foram uns momentos muito, muito engraçados. Primeiro avançavam e fugiam ao meu primeiro movimento, a seguir aproximavam-se mais um pouco... depois  de forma descarada já quase me subiam para o colo!

 

   

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 01:02 | link do post | comentar