Voltando às trivialidades...

 

 

Depois de assuntos sérios que nos fazem pensar, como até aos dias de hoje, os nossos caminhos têm sido “almofadados”, resolvi voltar às trivialidades.

 

Acho que todos já ouviram dizer “que uma verdade hoje é uma mentira à espera de vez” e nestes tempos, em que a ciência nos traz cada dia novos conhecimentos, estamos sempre a deparar-nos com o que foi bom já o não o é e vice versa…

Isto a propósito da controvérsia que por estas terras está a fazer notícia: sacos plásticos usa e deita fora "versus" sacos reutilizáveis,

 

Foi-nos dito dos malefícios ambientais dos sacos de plástico, por isso os íamos acumulando numa qualquer gaveta da cozinha com a intenção de os reutilizamos mais tarde…nada disso, numa próxima limpeza mais profunda lá iam, para o caixote do lixo, daqui para a lixeira onde permaneceriam dezenas de anos incorruptíveis ou, pior ainda, alguns deles acabariam no Oceano asfixiando, mesmo estrangulando seres marinhos!

 

Sacos reutilizáveis aparecem para mudar a situação. Mais duráveis e portanto podendo usar-se múltiplas vezes, alguns deles mesmo bonitos, rapidamente começaram a ser símbolo de preocupações ambientais, e até a usa-los com certa vaidade (lembram-se dos coloridos sacos do Pingo Doce?) e assim entrar no nosso quotidiano. A pregunta que aqui agora se  põem é: serão estes novos sacos bons para o ambiente e para a saúde? A resposta parece ser NÃO.

Por estes lados há “coisas” que mais dia, menos dia são escrutinados pela ciência,até ao mais profundo de cada célula! Foi o que aconteceu com os ditos sacos reutilizáveis...

E que detetaram as análises? Elevados níveis de chumbo além de bactérias prejudiciais à saúde, entre elas bactérias fecais, imaginem!! Health Canada alertou para a gravidade da situação se a bactéria entrasse em contacto com os alimentos…

 

 Estes sacos são obviamente feitos na China, de matérias muitas vezes não recicláveis,  tintas não permitidas pela quantidade de chumbo que usam além de significantes quantidades de energia na sua produção, para depois percorrem milhares de quilómetros antes de chegarem às nossas mãos. Estarão assim estes entre os padrões do ecoligistas? Os mais tolerantes dizem que o assunto poderia não ser tão grave se usados religiosamente e não ficassem a maior parte das vezes na bagageira do carro! Mas muitas vezes são grátis ou a preço insignificante e assim lá se voltam a acumular em casa dúzias destes outros…e entretanto os retalhistas beneficiam de uma publicidade eficiente e barata!

Mais uma “moeda” com duas faces!

publicado por naterradosplatanos às 12:38 | link do post | comentar