Rua da Ilha dos Amores

 

 

 

      

  

 

 

Digam-me lá se não é um nome delicioso para uma rua? Rua da Ilha dos Amores é o nome da minha rua em Lisboa e não imaginam como, já a casa comprada, foi uma agradável surpresa quando tomei consciência do nome da rua!

 Acho que deviam escolher sempre nomes assim, nomes que só de os lermos ficamos com uma sensação que nem eu sei bem definir…talvez uma sensação de… não sei bem traduzi-la por palavras, só sei senti-la…, talvez  que quem me ler me ajude a defini-la. E que dizer de outros nomes como Rua  do Rio das Pérolas, Rua da Nau Catrineta, Avenida da Peregrinação, Cais dos Argonautas, Passeio do Adamastor, Passeio do Levante, Pátio do Sextante, Passeio dos Jacarandás…?  Quem decidiu da toponímia do Parque das Nações foi muito feliz nas escolhas que fez…ah, ainda há as travessas: Travessa do Açafrão, Travessa da Canela, do Gengibre, da Malagueta entre outras especiarias. Depois aquelas com figuras que nos lembram aventuras lidas na meninice como a Travessa do Sandokan ou a Travessa do Sindbad, o Marinheiro…

 

Mas, e no Bairro do Areeiro, na Terra do Plátano? Nada disso, porquê Rua do Club Desportivo X ou do Club Y ou ainda a Rua do Monsenhor… ou a do Dom…? Estando o Bairro quase à entrada do Parque Natural de S. Mamede, porque não ter escolhido nomes ligados à Natureza?! Esta (a Natureza), teria dado uma imensidão de possibilidades de escolha para a meia dúzia de ruas que o bairro tem. Paciência…já está!

 

 Serão esses nomes que teremos que mencionar quando tivermos que escrever, num qualquer formulário ou no remetente de uma simples carta, a nossa morada daí na Terra do Plátano

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 20:42 | link do post | comentar