A notícia chegou cá e isso quer dizer alguma coisa!

 

 

 

Durante uns quarenta anos, quer como turista quer como “imigrante” devem contar-se pelos dedos as vezes que me chegaram notícias de Portugal. Considerando que seja verdade o que os ingleses dizem, no news, good news essa ausência de notícias significa que nada de avassalador acontece por aí. Desde que aqui estou, há já três meses, pequenas referências a Portugal mas sempre integrado com a Espanha, Grécia e Irlanda, isto graças ao défice de todos, pois  se o problema fosse só nosso, certamente não teríamos sido notícia!

 

Porém ontem ocupando a totalidade de uma página do Globe and Mail  vinha a notícia da morte do Saramago  ( www.globandmail.com) e uma ampla descrição  da sua vida, posições políticas e sua obra.

Quer gostemos quer não das suas obras, gostemos ou não da sua figura e atitudes polémicas, ele teve o grande mérito de levar o nome de Portugal à intelectualidade do Mundo, tal como a Amália (sepultada no Panteon Nacional) e o Eusébio a outras camadas dessa população. E isto é um facto indiscutível!

 

 Eu não sou entendida em literatura, confesso mesmo que embora tivesse comprado o Memorial do Convento, quando apareceu, não consegui lê-lo até ao fim, o texto que todos sabem escrito sem a pontuação formal tornou-se cansativo para mim e desisti. No Natal passado ofereci o Cain por ser a novidade literária do momento, algum tempo depois e dado que tinha sido tão polémico resolvi lê-lo…pura diversão e simultaneamente uma concordância absoluta com os argumentos nele apresentados, no que respeita  ao ente supremo que ele considera terrivelmente injusto.

 

 

O facto de a sua literatura ser tão apreciada não é com certeza o caso do rei vai nu, pois tive entre as minhas grandes amigas uma que admirava profundamente a sua obra, e a Patrocínio com a sua verticalidade moral e intelectual não se deixava ir em modas! Ela apreciava-o realmente.

 

Na minha opinião, baseada no que fui lendo sempre que foi notícia e pelas declarações  que lhe ouvi pareceu-me sempre uma pessoa amarga e amargurada o que condiz com o que ele alguma vez terá dito e que vem transcrito  no Globe and Mail:

 

Sou séptico, reservado, não sou emocional e portanto não vou a andar por aí abraçando pessoas e a tentar fazer amigos.

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 21:44 | link do post | comentar