Hoje comi tomates da minha “ “horta”” sita na varanda do meu 20º andar!

 

 

 

 

 

Há dois ou três dias  publiquei a fotografia do meu tomateiro onde “plantei” a bandeira portuguesa que me foi dada nas comemorações do 10 de Junho. Hoje, vou falar dessa “horta” e das hortas que eu tenho encontrado aqui em pleno centro de Montreal.

Primeiro, todos sabem da paixão que tenho pela minha horta, muito maior do que pelo jardim propriamente dito, semear ou plantar, cuidar, ver crescer e depois colher é algo de muito gratificante! Porém a milhares de quilómetros dela só me restou “sublimar” essa paixão comprando um vaso onde cresce esse maravilhoso e saudável tomateiro como a fotografia vos mostra. Assim, aqui na varanda do 20º andar da Sherbrook Street ele tem crescido atentamente regado e cuidado por mim e hoje já pudemos comer o primeiro tomate! Comprei-o no Jean Tallon Market que, ao contrário do Atwater, me deslumbrou.

Quando passava na secção de horticultura com plantas prontas a produzir (tomates, pimentos, beringelas, courgetes, abóboras, pepinos…) eis que vejo estes tomateiros anões já carregadinhos de frutos e como tal, não pude resistir! Por $8 trouxe um comigo e ali está ele na varanda produzindo quinze lindos tomates!

Realmente cultivar uma horta, por pequena que seja também deve ser uma paixão para muitos monterealenses. Digo isto porque ao longo dos meus passeios, muitos deles sem destino traçado, tenho encontrado entre os edifícios espaços ocupados pelas ditas “hortas/jardins urbanos” partilhados pelos moradores. Já tinha lido sobre isso aqui num jornal e pude vira constata-lo pessoalmente. Assim um desses espaços que fotografei e que provavelmente teria estado há muito tempo atrás ocupado por uma ou duas vivendas é agora um espaço comunitário. Nele os vizinhos interessados, claro está, têm cada um o seu canteiro partilhando casota para ferramentas e até uma cabine de WC! Quando passei um dos “agricultores” vendo a atenção com que eu olhava o seu trabalho ofereceu-me “ ruibarbo”*, agradeci dizendo que não era daqui. Uns dias mais tarde vi outra, cultivada por dois jovens que afanosamente cavavam a terra para provavelmente plantar o que tinham ali em pequenos vasos.

 Aqui tem mesmo que se comprar plantas germinadas e mais ou menos crescidas em estufas dado que eles apenas dispõem de uns quatro meses com temperaturas compatíveis com horta.

Falando dos jardins também aqui, como que por magia, aparecem floridos da noite para o dia!

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ruibarbo

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 12:00 | link do post | comentar