Terça-feira, 16.06.15

A última aula com o Siamak...

Hoje  foi a última aula com o Siamak, estávamos só três alunos e era também, precisamente, última aula de nós os três!

Eu, 66, a Norico, de Osaca com 18 e o Carlos de Caracas com 17... foi uma aula informal, apenas conversa à cerca de tudo um pouco e de nós mesmos… A Norico a mais velha de três irmãos, 12 e 4 anos sem nenhuma vontade de regressar  e com a firme determinação de um dia voltar para viver no Canadá! O Carlos desejoso de voltar a casa, sobretudo à mãe e encontrar os amigos que deixou pois os que aqui fez, segundo ele, foram superficiais… eu, eu,nem se fala…

 

O Siamak falou-nos da sua vida no Irão, do curso de medicina que lá fez, da sua vinda há dois anos e ainda a intenção de ficar até ao próximo Janeiro altura em que adquirirá direito ao estatuto de canadiano-residente e respectivo passaporte. Na sequência contou-nos como é constringente estar no check-in de um aeroporto com um Passaporte do Irão na mão... a forma como são insistente olhados,  às vezes chamados à parte, como se todos os iranianos fossem terroristas, diz ele com certo pesar! Falou-nos das circunstâncias em que começou ali a ser professor e de como ama esta ”profissão de recurso” pois nunca abandonou a ideia de voltar a ser médico psiquiatra num qualquer hospital, apesar dos seu 43 anos!

 

As quatro da tarde chegaram rapidamente, despedimo-nos os quatro e senti que as despedidas eram mesmo sinceras, talvez pela certeza de nunca mais nos virmos a encontrar!!!

   

publicado por naterradosplatanos às 14:47 | link do post | comentar
Terça-feira, 21.06.11

"Muskokas" canadianas num jardim do Areeiro...

 

 

     

 

 

Ainda se lembram do meu post “ As muskocas e o Sr. Coronel” ? http://naterradosplatanos.blogs.sapo.pt/2010/07/05/ .

Pois é, esse símbolo canadiano e que faz parte da mobília de jardim de qualquer “cotage” ou mesmo de uma simples vivenda um qualquer bairro citadino  está agora num jardim do Areeiro, que é o meu!!

 

Logo que as vi apaixonei-me por elas, pelas suas cores garridas no meio dos relvados…logo o desejo de trazer umas para o meu.

Como poucos “segredos” resistem ao Google lá encontrei uma empresa na British Columbia que fazia “kits” precisamente para todo e qualquer turista levar consigo. Cada uma pesa 12,5kg ,mas veem devidamente embrulhadas e com uma asinha para as carregarem… Compradas pela internet chegaram à Sherbrooke Street no prazo de uma semanas. À primeira oportunidade vieram na nossa bagagem e aqui ficaram à espera da nossa vinda definitiva. Agora aqui estão elas já pintas de acordo com as cores mais votadas na devida altura, pelas minhas leitoras (Patrícia, Kátia e Susana).

 

Afianço-vos que são muito cómodas e se passarem pelo Areeiro, estão convidadas(os) a experimentar…

 

Nem sabem como estou feliz por ter estas “muskokas” debaixo do meu jacarandá!

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 18:26 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Sábado, 21.05.11

A minha nova morada é...

Mudei-me e a minha nova morada é:

 

www.noareeiroeporai.blogs.sapo.pt

 

cá os espero

publicado por naterradosplatanos às 16:21 | link do post | comentar
Terça-feira, 10.05.11

Lá estava ele tal como o deixei!

 

 

Estava a mentir se dissesse que não sinto uma certa nostalgia ao escrever pela última vez na “Terra do(s) Plátano(s), claro que sinto, isto é assim como quando nos mudamos de casa… e na realidade eu estou a mudar-me!

Foram  exatamente1 ano e 28 dias do outro lado do Oceano Atlântico, com 6 graus de latitude de diferença ( Portalegre 39ºN, Montreal 45ºN). Porém aqui  os ventos que nos atingem ou vem do mar ou do deserto do Sahara, o vento Suão de que fala José Régio… lá veem  de uma grande extensão continental que começa para os lados do Polo Norte ou do imenso Sul americano, e  é isso que faz toda a diferença na criação das paisagens de um e de outro lado.

 

Vejamos de onde vem a minha nostalgia depois de 229 post escritos! Vem precisamente do facto de que quase todos os dias me sentar em frente do computador, lá no 20º andar e escrever aquilo que ao fim e ao cabo foram algumas trivialidades do meu dia a dia numa tão grande cidade e num tão grande país. Outras vezes foram reflexões sobre coisas que via ou lia e que para mim, até aqui, me pareciam impensáveis! Claro, depois houve as brincadeiras associadas ao concursos e a diversão imensa que me proporcionaram…

 

E hoje termino “Na Terra do(s) Plátano(s)", cumprindo a promessa de que só o faria depois de voltar ao Rossio, vê-lo,  olha-lo de longe, de perto, de baixo, admirar de novo o seu fantástico tronco  e constatar, tal como suspeitava, de como ele está, ao contrário dos outros, todo vestido de verde…  sim , lá estava majestoso como não vi nenhum na terra que tem a sua folha, na sua bandeira!

 

Obrigada a todos os que me leram e que sinceramente espero me visitem na nova morada da qual aqui deixo o endereço:

 

http://noareeiroeporai.blogs.sapo.pt/

 

p.s. provavelmente amanhã ainda não lhes abrirei a porta pois a confusão por aqui ainda vai grande, malas para desfazer, coisas para arrumar, “get rid of “ de uma data de aranhas e respectivas teia que se instalaram em tudo o que é canto…

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 22:21 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Segunda-feira, 09.05.11

Como não ter saudades?

 

 

 

Sim, deixei Montreal assim: céu cinzento sombrio e chuva persistente...

 

 

 

 

 

 

 Cheguei há dois dias e cá está Lisboa em plena Primavera ensolarada... Como não ter saudades?

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 12:22 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Sábado, 07.05.11

Viciei-me no blog!!

 

      

 

 

 

Chegamos ontem e hoje não consegui deixar de vir aqui, por isso digo que estou viciada! É assim, escrever um post torna-se parte da nossa rotina diária e sobretudo quando sabemos que temos quem nos lê com regularidade e nos deixa a sua opinião. Ficamos com a sensação de que temos uma espécie de família “virtual” a quem temos que obrigatoriamente de dar notícias e, nesse sentido aqui estou eu a cumprir esta agradável obrigação.

 

De porta a porta, isto é da Sherbrook Street até à Rua Ilha dos Amores demoramos 27 horas!  Foi muita coisa! Não é costume mas desta vez em Montreal o atraso foi mais de duas horas e o mesmo de Londres para cá!

 

Já passou e cá estamos na Rua Ilha dos Amores (desta vez ao contrário do que é costume nem me senti muito afectada pelo jet-lag)!

Ontem quando entramos na Alameda dos Oceanos vi logo que os Jacarandás começam a pintar-se de azul. Como estará o meu lá no Areeiro?

Mais dois dias e darei notícias!

 

 

Os jacarandás da Alameda dos Oceanos (azul sobre azul!)

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 18:52 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Quinta-feira, 05.05.11

5ª feira dia 5 de Maio de 2011, 3.30 da manhã !

 

 

 

 

Aqui  são agora 3.20 da manhã, estou com uma enorme insónia e por isso resolvi vir escrever...

 

Ao fim da tarde estaremos a tomar o avião de regresso à Pátria!

Não há nada como conhecermos outras pátrias para, cada vez que regressamos, gostarmos mais da nossa, pesem alguns problemas  que ela às vezes nos reserva, mas é a nossa!

 

Há dias li e retive o seguinte : Nunca se deve julgar o destino pela lente da câmara de um fotógrafo. Nada mais verdadeiro em relação a Montreal!

No entanto a minha estadia no Canadá teve muito de positivo, não só pelo que vi de novo, mas sobre tudo pelo que constatei da apreciação do dia a dia desta gente vinda de todo o mundo... e ainda pelo que avidamente li nos jornais e que me deu outra visão deste imenso país!

 

Depois a possibilidade de ir a sítios mais longínquos como a Nova Scotia e  Ilha do Príncipe Eduardo de que já falei. Só realmente lamento que as distâncias, que aqui são continentais, não me tivessem dado a oportunidade de ir à Newfound Land (Terra Nova) e Labrador, porque as outras cidades a que fomos, são apenas grandes cidades sem nada de especial!

 

Mas de tudo o que daqui levo e que mais preso foi o conhecimento mais próximo dos meus "colegas" da aula de conversação, que em boa altura tive a ideia de frequentar. Da longínqua Ásia, passando pela África, América Latina e até Europa, conheci uma série de gente, sobre tudo gente nova que sem pejo falava do bom e do mau dos seus países, das suas  tradições e até dos seus insólitos...Vives numa cidade venezuelana, estás desempregado mas tens um carro? Então não há problema, escreves num ou dois papeis a palavra TÁXI e afixa-los na janela e já está depois é só estares atento a quem te manda parar e ajustar o preço! Foi esta a última revelação do Carlos que para a semana também regressa.

 

Como esta, muita coisa aprendi, já para não falar na data de "Phrasal Verbs e Idioms" que o Siamak nos obrigou a aprender!! 

Até Lisboa

 

publicado por naterradosplatanos às 08:30 | link do post | comentar | ver comentários (7)
Quarta-feira, 04.05.11

Mont Royal: a “montanha” mágica

 

 

Diz a lenda tornada história ou a história tornada lenda que quando Jaques Cartier (francês que desbravou estes sítios), em 1535 chegou ao cimo deste monte o achou tão belo que o apelidou, em honra do seu rei Francisco I da França, de Mont Royal... não sei em que estação do ano lá chegou, eu apostaria que devia ter sido no Outono.

 

O Mont Royal tem realmente magia!

 O ano passado quando aqui cheguei no princípio de Abril ainda todo ele estava despido, as árvores ainda erguiam ao céu, então já azul, os ramos secos que aos olhos dos menos atentos pareceriam definitivamente secos! Um mês passado e um verde tenro começa a pintá-las, depois cada vez mais escuro e de tons diferenciados, florescem também alguns arbustos embora haja poucos, a relva torna-se mais verde e salpica-se de gente que vem para os primeiros dias de realmente Primavera…os riachos do degelo ainda corriam.

 

O Verão chega, os ramos das árvores enleiam-se (termo roubado à RV) uns nos outros, as copas fecham-se  e a frescura está por todo o lado, os pic-nics continuam, as bolas dos garotos rolam de um lado para o outro…

 

Chegam os meados de Setembro, aos poucos tudo muda, o verde passa a amarelo, a laranja, a vermelho a castanho… e aqui é que aparece a magia do prestigitador, o Outono. Como que um mago faz cair as folhas  que mais parecem bocadinhos de ouro que “chovem” das árvores…depois o chão torna-se num tapete fofo e dourado e assim fica até às primeiras “pétalas” de neve!

 

Então, aí está o Inverno, nos princípios de Dezembro a neve começa a cair e tudo se cobre de branco,  um branco silencioso que abafa os nossos passos, mas que não hesitamos em dar… e pelos carreiros que já o não  são, vamos rodeando a “montanha mágica" sempre em redor até nos depararmos com o Lago dos Castores, que já não é um lago mas um ring de patinagem onde ao som de músia se bamboleiam miúdos e graúdos…

 

Hoje, quase um ano e um mês depois, o ciclo volta a iniciar-se, os riachos do degelo correm ainda barulhentos, as árvores timidamente começam a brotar a relva, já liberta da neve volta a reverdescer, o lago volta a ser lago, os pic-nics regressaram, os gritos dos garotos a trás das bolas voltam-se a ouvir-se...

 

Os habitantes de Montreal, gentes de todas as cores e de todas as falas que, mesmo durante o rigoroso inverno, nunca deixaram o seu parque, lá estão, agora  a única diferença é que substituíram o gorro, as luvas, os casacos de penas e as botas de borracha  pelos calções, pelos tops e pelas sapatilhas…

 

O ciclo das estações está a fechar e eu tive o grande privilégio de o poder apreciar como nunca tinha feito até aqui já que no nosso clima mediterrâneo, onde a neve é esporádica, nunca poderemos ter a sensação das verdadeiras quatro estações: Primavera, Verão, Outono e Inverno!

 

 Essencialmente por isto, o meu “exílio” valeu a pena e quase posso dizer que, como o Outono, foi um "exilio dourado"  e assim por todos os belos momentos de paz e até de meditação que ele me proporcionou (e foram muitos) é que resolvi dedicar-lhe um post especial... 

 

 

Quando cheguei estava assim, a Primavera estava ainda a umas semanas de se manifestar...

 

 

 

 

Em plena Primavera

 

 

 

No Verão com a cidade aos pés...

 

 

 

 

O Outono começa pé ante pé...

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo branco e silencioso...

 

 

 

 

 

 E o degelo começa... 

 

 

 

 

 

E assim se fecha o ciclo da Natureza do Mont Royal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 00:34 | link do post | comentar | ver comentários (12)
Terça-feira, 03.05.11

A última aula com o Siamak...

 

Hoje  foi a última aula com o Siamak, estávamos só três alunos e era também, precisamente, última aula de nós os três!

Eu, 66, a Norico, de Osaca com 18 e o Carlos de Caracas com 17... foi uma aula informal, apenas conversa à cerca de tudo um pouco e de nós mesmos… A Norico a mais velha de três irmãos, 12 e 4 anos sem nenhuma vontade de regressar  e com a firme determinação de um dia voltar para viver no Canadá! O Carlos desejoso de voltar a casa, sobretudo à mãe e encontrar os amigos que deixou pois os que aqui fez, segundo ele, foram superficiais… eu, eu,nem se fala…

 

O Siamak falou-nos da sua vida no Irão, do curso de medicina que lá fez, da sua vinda há dois anos e ainda a intenção de ficar até ao próximo Janeiro altura em que adquirirá direito ao estatuto de canadiano-residente e respectivo passaporte. Na sequência contou-nos como é constringente estar no check-in de um aeroporto com um Passaporte do Irão na mão... a forma como são insistente olhados,  às vezes chamados à parte, como se todos os iranianos fossem terroristas, diz ele com certo pesar! Falou-nos das circunstâncias em que começou ali a ser professor e de como ama esta ”profissão de recurso” pois nunca abandonou a ideia de voltar a ser médico psiquiatra num qualquer hospital, apesar dos seu 43 anos!

 

As quatro da tarde chegaram rapidamente, despedimo-nos os quatro e senti que as despedidas eram mesmo sinceras, talvez pela certeza de nunca mais nos virmos a encontrar!!!

   

publicado por naterradosplatanos às 00:40 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Segunda-feira, 02.05.11

Fui à Manifestação Anti-capitalista do 1ª de Maio!

 

 

  

 

 

 

Mais uma coisa que eu certamente não faria aí na nossa terra: ir a uma manifestação promovida por um qualquer partido! Não gosto de multidões, tenho uma certa fobia de me ver envolvida por milhares de pessoas, nunca me veria num concerto num estádio, num jogo de futebol e também numa manifestação política.

 

Então como é que ontem fui a uma, perguntarão? Simplesmente aquilo de manifestação no sentido verdadeiro da palavra não tinha nada e eu sabia-o de antemão e queria documenta-la… Assim à hora anunciada, 15.00, lá fui eu até à Berry Square onde me deparo-me com mais polícias do que manifestantes, polícias a cavalo, polícias em bicicletas e polícias a pé mas bem apetrechados! Porém, conforme o tempo ia passando, apareceram mais manifestantes e embora eu não tenha prática destas contagens, pareceram-me poucas centenas...

 Bandeiras vermelhas e pretas, faixas com dizeres anti-capitalistas como mandava a situação! E quem eram os manifestantes, ou melhor quem pareciam ser? Poucos tinham ar de trabalhadores, a maioria nunca deve ter trabalhado a ver pela idade que aparentavam… deviam ser produto de uma “geração rasca” que os antecede e que lhes permitiu tatuarem-se, colocar uma data de piercings, pintarem e cortarem os cabelos de formas bizarras! 

Quem verdadeiramente trabalha não tem tempo para essas fantasias! Se estes são “uma geração à rasca” isso eu já não sei, tudo depende de quem lhe permite aquelas fantasias pois trabalho por aqui não deve faltar a ver pela data de imigrantes que estão trabalhando por todo o lado…

 

Aqui vão algumas fotografias que mostram o que acabo de vos contar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 15:24 | link do post | comentar | ver comentários (2)

mais sobre mim

Junho 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO